O Mitrade Insights dedica-se a fornecer aos investidores informações financeiras ricas, oportunas e valiosas para ajudá-los a entender a situação do mercado e encontrar oportunidades de negociação oportunas.
    2021
    Melhor Provedor de Notícias e Análise
    FxDailyInfo
    2022
    Melhores Recursos Educacionais de Forex Global
    International Business Magazine

    Explorando o Potencial dos ETFs de Criptomoedas: Um Novo Horizonte para Investidores

    Minutos
    Atualizado em 29/11/2023 09:08

    O que é um ETF (Exchange-Traded Fund) ?

    Um ETF (Exchange-Traded Fund) é um fundo de investimento de tipo aberto, semelhante a um fundo gerido tradicional, mas que pode ser comprado ou vendido como qualquer ação na ASX. A maioria dos ETFs tem como objetivo acompanhar de perto o desempenho de um índice ou ativo subjacente, buscando fornecer os retornos desse índice ou ativo, deduzidos quaisquer taxas e custos.

    Ao oferecer acesso a praticamente todos os cantos do mercado e a todas as principais classes de ativos, os Fundos de Investimento Negociados em Bolsa são uma das categorias de produtos de investimento de crescimento mais rápido no mundo.

    Adicionalmente, os ETFs costumam apresentar custos de administração inferiores quando comparados aos fundos de investimento convencionais, tornando-os uma escolha atrativa para investidores em busca de uma alternativa de investimento que seja tanto diversificada quanto economicamente eficiente.

    A Ascensão das Criptomoedas Como Ativo Financeiro

    Em 2017, o mundo foi introduzido ao conceito de bitcoin e à possibilidade de seu valor atingir patamares elevados. Embora isso não fosse uma novidade para investidores que se denominam mais libertários e alguns economistas austríacos que sempre desejaram afastar o controle do governo sobre o dinheiro, para o financista comum, como eu e provavelmente você, isso representava algo inédito.

    Desde esse momento, inúmeros eventos moldaram o panorama. O valor do bitcoin experimentou altos e baixos, assemelhando-se a uma montanha-russa que atingiu seu ápice quando a criptomoeda alcançou a marca de US$ 64 mil por unidade em 2021. Paralelamente, surgiram milhares de outros ativos digitais, gerando um mercado de trilhões de dólares, um ecossistema recém-criado e uma economia fundamentada no princípio da descentralização.

    Deseja dados concretos? Então, observe:

    O valor combinado dos 15 principais criptoativos beira a marca de US$ 1 trilhão.

    De acordo com a CVM, há mais de 30 fundos de criptomoedas disponíveis para investidores, excluindo os ETFs.

    Alguns desses fundos contam com uma base de mais de 20 mil cotistas.

    O que são ETFs de Criptomoedas?

    O Exchange Traded Fund (ETF) de criptomoedas é um fundo de investimento negociado na bolsa de valores, assemelhando-se a uma ação. Ele opera com funcionalidades semelhantes a qualquer outro ETF do mercado, agregando recursos de diversos investidores e replicando um índice de referência.

    A distinção primordial entre os ETFs de criptomoedas e aqueles de outros setores é que eles seguem indicadores do Bitcoin (BTC) ou de altcoins.

    No Brasil, o ETF de criptomoedas HASH11 fez sua estreia na Bolsa de Valores em 26 de abril de 2021, arrecadando significativos R$600 milhões em seu IPO. Com esse êxito, o fundo rapidamente o ativo entrou na lista dos investimentos mais procurados por investidores.

    Quais são os principais ETFs de criptomoedas do Brasil?

    Com a valorização do bitcoin (BTC) ultrapassando os 100% desde o início do ano de 2023, os principais fundos de cripto ativos negociados em bolsa (ETFs) brasileiros também têm apresentado desempenhos notáveis. No decorrer deste mês de outubro, os principais produtos desse tipo no mercado assumiram as posições de destaque no ranking de melhores performances em 2023.

    De acordo com a Levante Ideias de Investimentos, o ETF TECK11 do Itaú, que investe em uma cesta de ações de 10 grandes empresas de tecnologia, perdeu a liderança que mantinha na base anual entre os ETFs em setembro, sendo superado pelos fundos QBTC11, BITH11, BITI11 e HASH11, todos vinculados a criptomoedas.

    O QBTC11 da QR Asset Management, o BITH11 da Hashdex e o BITI11 da Itaú Asset Management, todos alocando 100% do capital em bitcoin, registraram valorizações desde o início do ano de 98,5%, 95% e 93,9%, respectivamente. Quanto ao HASH11, que é o pioneiro ETF cripto no Brasil e o maior em valor de mercado, apresentou uma valorização um pouco inferior, atingindo 72,4% em relação aos três fundos focados exclusivamente em ativos digitais.
    Conforme informações fornecidas pela Hashdex, a gestora responsável pelo HASH11, a atual composição da carteira do ETF é a seguinte: 70,25% em Bitcoin, 27,55% em Ether (ETH), 0,66% em Chainlink (LINK), 0,63% em Litecoin (LTC), 0,29% em Polkadot (DOT), 0,28% em Stellar (XLM), 0,2% em Uniswap (UNI) e 0,14% em Ethereum Classic (ETC).

    Hugo Montan, analista de criptoativos da Levante, atribui o desempenho relativamente baixo do HASH11, quando comparado a ETFs monoativos, ao atual estágio do ciclo de mercado. Isso ocorre em um momento em que o domínio do Bitcoin está se ampliando, enquanto o apetite ao risco dos investidores diminui diante da baixa liquidez atual. A dominância do Bitcoin, medida que reflete a porcentagem do valor de mercado de todos os ativos criptográficos concentrada no BTC, estava em 51,1% na sexta-feira (27), segundo a CoinGecko.

    Abaixo, apresentamos os 10 ETFs brasileiros com melhor desempenho no ano, com base na análise do preço de fechamento de 2022 em comparação com o preço de fechamento em 27 de outubro deste ano. Essa análise, conforme dados do Yahoo Finance, engloba 84 ETFs de renda variável e 11 de renda fixa negociados na B3.

    Ticker

    Performance

    Gestora

    Composição

    QBTC11

    92,80%

    QR Asset

    100% Bitcoin

    BITH11

    89,60%

    Hashdex

    100% Bitcoin

    BITI11

    85,40%

    Itaú Asset

    100% Bitcoin

    HASH11

    66,90%

    Hashdex

    Cesta de criptoativos

    TECK11

    51%

    Itaú Asset

    Cesta de ações de tecnologia

    CRPT11

    45,90%

    Vitreo

    Cesta de criptoativos

    QETH11

    39,80%

    QR Asset

    100% Ethereum

    ETHE11

    37,20%

    Hashdex

    100% Ethereum

    GENB11

    36,50%

    BTG Pactual Asset

    Cesta de ativos internacionais

    WEB311

    29,10%

    Hashdex

    Cesta de criptoativos

    Quais são as vantagens de investir em ETFs de criptomoedas?

    Agora que você compreende o que constitui um ETF e como opera, analise quais são os benefícios associados à escolha desse tipo específico de fundo de investimento.

    👍 Acessibilidade para Investir na Renda Variável

    Essa vantagem é particularmente relevante para investidores novatos com uma abordagem mais conservadora, buscando uma postura moderada.

    👍 Potencial de Maior Rentabilidade

    Dependendo da quantidade de ativos presentes na mesma "cesta" do ETF escolhido, é possível alcançar uma rentabilidade superior em comparação a investimentos em renda fixa, como Tesouro Direto e Certificado de Depósito Bancário (CDB).

    👍 Ampla Diversificação

    A diversificação representa outro ponto positivo. Em vez de alocar recursos financeiros diretamente em um único ativo, é viável distribuir esses recursos em vários ativos simultaneamente.
    👍 Investimento Inicial Moderado

    Investir em ativos individualmente pode resultar em custos mais elevados em comparação com a opção de investir em um ETF.

    Comece a Negociar Agora

    *Registre-se e ganhe um bônus de US$ 100*

    Análise de Mercado dos ETFs de Criptomoedas

    Antes de qualquer avaliação, é importante ressaltar que cabe a você, investidor, decidir qual ativo melhor se alinha ao seu perfil e necessidades.

    Nesse contexto, tanto o mercado de criptomoedas quanto o de ETFs estão experimentando um notável crescimento. Como evidenciado, somente em 2021, foram lançados cinco ETFs de Criptomoedas.

    Contudo, é crucial destacar que as criptomoedas são ativos altamente voláteis, propensos a valorizações e desvalorizações frequentes. Essas intensas oscilações muitas vezes estão correlacionadas a notícias e opiniões de figuras proeminentes do mercado, como Elon Musk, por exemplo.

    Essas flutuações substanciais são motivo de hesitação para muitos investidores ao considerar a alocação de recursos nesses ativos. No entanto, alguns especialistas acreditam que as criptomoedas têm potencial de longo prazo devido à sua tecnologia disruptiva e às possíveis aplicações práticas que muitas delas podem ter no futuro.

    Dessa forma, com essa análise em mente, os ETFs de Criptomoedas podem ser uma entrada interessante para investidores iniciantes. Por outro lado, para investidores mais experientes, pode ser mais vantajoso investir diretamente em criptomoedas, exceto pela conveniência e segurança proporcionadas pelos ETFs.
    Ao escolher em qual ETF de Criptomoedas investir, é fundamental compreender as distinções entre os ETFs exclusivamente de Bitcoin, aqueles que oferecem maior diversificação e os que têm exposição ao Ethereum.

    Os ETFs de Bitcoin são notáveis por proporcionarem uma camada adicional de segurança. Isso se deve ao fato de que o Bitcoin foi a primeira criptomoeda desenvolvida, é a mais reconhecida e desfruta de uma maior confiança no mercado. Além disso, o Bitcoin desempenha um papel crucial, influenciando o desempenho de outros criptoativos. Se o Bitcoin estiver em ascensão, tende a impulsionar o aumento de outras criptomoedas; da mesma forma, se estiver em queda, essa tendência se mantém.

    No caso dos ETFs que replicam uma cesta de criptoativos, como o HASH11, por exemplo, apresentam um nível mais elevado de risco. Entretanto, oferecem a oportunidade de se beneficiar de movimentos de mercado assimétricos, mesmo acompanhando o desempenho do Bitcoin.

    Por fim, os ETFs de Ethereum compartilham semelhanças com os de Bitcoin, embora sejam considerados mais arriscados devido à replicação de uma criptomoeda que possui uma confiança inferior em relação à principal do mercado.

    Como Investir em ETFs de Criptomoedas

    O passo inicial para investir em um fundo de índice é selecionar uma corretora de valores confiável, ressaltando que estas diferem das corretoras de criptomoedas. O processo de cadastro geralmente é conduzido online e de forma gratuita, proporcionando acesso ao home broker vinculado à B3 no Brasil.

    Após efetuar o depósito do montante necessário para a aquisição do ativo, é preciso utilizar o campo de busca e inserir o código (ticker) correspondente para localizar o ETF desejado, como por exemplo, pesquisar por HASH11.

    Antes de adquirir a quantidade desejada de cotas vinculadas ao fundo, é essencial avaliar aspectos cruciais, tais como o preço de compra e venda, histórico de valorização e as expectativas do mercado.

    Adicionalmente, é importante ter em mente que os ETFs de criptomoedas impõem taxas de administração anuais, além de outros encargos que podem ser aplicados na compra, como as taxas cobradas pela própria corretora.

    Comece a Negociar Agora

    *Registre-se e ganhe um bônus de US$ 100*

    Riscos Associados aos ETFs de Criptomoedas

    Destacamos, especialmente, os seguintes riscos associados aos ETFs:

    👎 Risco de Liquidez: Embora os ETFs sejam negociados em bolsas de valores, a liquidez pode ser variável. Em determinados casos, a falta de compradores ou vendedores dispostos a negociar o ETF a um preço desejado pode resultar em spreads (diferença entre os preços de compra e venda) mais amplos.

    👎 Risco de Mercado: Assim como em qualquer investimento em ações, os ETFs estão sujeitos ao risco de mercado. O valor das ações subjacentes ao ETF pode variar em decorrência de fatores econômicos, políticos e eventos imprevistos.

    👎 Riscos de Câmbio: Investir em ETFs do mercado americano implica riscos de flutuação cambial. No entanto, investimentos em dólar tendem a ser mais estáveis e oferecem proteção em momentos de crises e incertezas.

    👎 Risco de Concentração: Alguns ETFs concentram-se em setores específicos, regiões geográficas ou classes de ativos. Portanto, se o setor ou região em que o ETF está focado enfrentar dificuldades, o desempenho do ETF pode ser negativamente afetado.

    👎 Risco de Rastreamento: Os ETFs geralmente buscam acompanhar o desempenho de um índice subjacente. Contudo, devido a taxas, custos de transação e outros fatores, pode haver uma pequena discrepância entre o desempenho do ETF e o desempenho do índice.

    Futuro dos ETFs de Criptomoedas

    De acordo com informações do Mercado Bitcoin, junho registrou o desempenho mais desfavorável deste ano, posicionando-se como o terceiro pior mês na história do BTC. Diante desse cenário, é imperativo que os investidores adotem uma abordagem mais cautelosa para mitigar possíveis perdas durante esse período de aversão ao risco.

    No entanto, este momento desafiador pode também se revelar uma oportunidade de compra para aqueles que buscam retornos a médio e longo prazos. Para investidores com esse foco, especialistas sugerem que alocações em ETFs (Exchange Traded Fund, na sigla em inglês) de criptomoedas podem representar uma alternativa mais prática e de menor risco.

    Essa recomendação se justifica pela negociação desses produtos financeiros em ambientes regulados, bem como pela presença de uma equipe de gestão nos bastidores. Essa equipe é responsável por realizar a seleção dos melhores ativos digitais, seguindo uma metodologia própria.

    Essas particularidades não implicam que o investidor deva simplesmente alocar parte de seus recursos em qualquer ETF com exposição a criptomoedas para garantir retornos financeiros favoráveis. Mesmo que o risco seja reduzido, é essencial avaliar se os objetivos do produto estão em sintonia com suas expectativas de rentabilidade. Além disso, compreender as especificidades do produto e examinar o histórico da gestão responsável pela oferta do fundo ou do ETF são passos fundamentais.

    Além dos ETFs disponíveis na B3, algumas plataformas digitais oferecem tokens com uma proposta semelhante aos produtos negociados em bolsa. No Mercado Bitcoin, por exemplo, são disponibilizados dois ativos que se referem a índices com exposição ao metaverso e a projetos relacionados a DeFi. De acordo com Fabrício Tota, diretor de novos negócios do Mercado Bitcoin, a lógica dos tokens segue a mesma dos ETFs na B3, assim como suas vantagens.

    É uma maneira acessível e ágil para o investidor diversificar, pois em uma única operação é possível adquirir uma cesta de ativos. Existe uma metodologia por trás do índice para a seleção dos ativos e, consequentemente, o token indexado segue a mesma lógica. Além disso, há uma tendência a apresentar menor volatilidade devido à diversificação de vários ativos.

    illustration Forex 丨 Índices 丨 Ações 丨 Cripto 丨 Mais Estritamente regulamentado 0 comissão, spreads baixos Alavancagem atrativa de até 1:200 & tight spreads Análise de mercado exclusiva da Trading Central Dicas e insights em primeira mão Suporte multilíngue ao atendimento ao cliente 5/24 Trade on web or app

    Isenção de responsabilidade: este artigo representa apenas a opinião do autor e não pode ser usado como consultoria de investimento. O conteúdo do artigo é apenas para referência. Os leitores não devem tomar este artigo como base para investimento. Antes de tomar qualquer decisão de investimento, procure orientação profissional independente para garantir que você entenda os riscos.

     

    Os Contratos por Diferença (CFDs) são produtos alavancados que podem resultar na perda de todo o seu capital. Esses produtos não são adequados para todos os clientes; por favor, invista com rigor. Consulte este arquivo para obter mais informações.


    Você achou este artigo útil?